PAVIMENTAÇÃO

A malha rodoviária do Brasil possui grande importância econômica para o país, pois é responsável pela movimentação de, aproximadamente, 61% das mercadorias e 95% dos passageiros, segundo o Anuário CNT do Transporte 2019, divulgado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT). Com 1.720.700 quilômetros, o Brasil possui uma das maiores malha rodoviário do mundo, sendo 94,7% rodovias estaduais e municipais e 5,3% rodovias federais. Entretanto, somente 213.453 quilômetros (12,4%) são pavimentados e, deste total, 30% apresentam algum tipo de falha.

Diante do exposto, percebe-se que há muitos aspectos para melhorar no que diz respeito a rodovias no Brasil. Um dos problemas que justificam esse percentual de rodovias com falhas está no projeto. Para a correta elaboração de um projeto de pavimentação é necessário um estudo técnico de tráfego que devem ser realizados de modo a estimar o volume de veículos que irão utilizar a via e os tipos de veículos, visto que o esforço causado por um caminhão é maior do que o causado por um carro. Além disso, conhecer as propriedades geotécnicas da região e como se dará a conexão com o sistema de drenagem superficial são de extrema importância.

Segundo Araújo et al, os pavimentos podem ser classificados de três formas: flexível, semirrígido e rígido, sendo o primeiro e o terceiro os mais utilizados no país. A principal diferença entre eles é pela forma de absorção das tensões provocadas pelo tráfego. Outra diferença diz respeito às camadas constituintes.

  • Flexível: composto por subleito, reforço do subleito (quando necessário), sub-base, base e revestimento de material betuminoso. Sofre deformação elástica e a carga é distribuída de forma relativamente igual entre as camadas. Exemplo: base de brita graduada, revestida por camada asfáltica;
  • Semirrígido: caracterizado por uma base composta por algum aglutinante com propriedades cimentícias. Exemplo: base de solo-cimento e revestimento asfáltico;
  • Rígido: em sua composição tem-se subleito, reforço do subleito (quando necessário), sub-base e revestimento de concreto. Por sua elevada rigidez, as tensões provocadas pelo carregamento são praticamente todas absorvidas pelo revestimento. Exemplo: pavimento composto por placas de concreto de cimento Portland.

Além das características citadas acima, o fator econômico tem forte influência na escolha do tipo de pavimento. Apesar de uma melhor resistência, o pavimento rígido pode chegar a custar 30% a mais que o flexível, se executado corretamente, porém tem vida útil média entre 25 e 30 anos, frente a, no máximo, 10 anos do pavimento flexível. Contudo, uma das vantagens do revestimento asfáltico é em relação à manutenção, podendo ser feita pontualmente no local do problema, enquanto é preciso a troca de toda a placa de concreto do pavimento rígido.

Um aspecto comum entre os tipos de pavimento diz respeito à necessidade de um acompanhamento regular das condições das rodovias, através de um sistema de gerência de pavimentos. Dessa forma, o gasto com manutenção teria uma diminuição relevante, visto que hoje, no Brasil, esse acompanhamento é feito de maneira precária, e consequentemente haveria uma queda do número de acidentes nas rodovias brasileiras.

REFERÊNCIAS

ARAÚJO, Marcelo Almeida; et. al. Análise Comparativa de Métodos de Pavimentação – Pavimento Rígido (concreto) x Flexível (asfalto). Revista Científica Multidisciplinar Núcleo Do Conhecimento. Ano 01, Edição 11, Vol. 10, pp. 187-196, novembro de 2016. ISSN: 2448-0959

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DO TRANSPORTE, 3ª edição., 2018, Brasília. Anuário CNT 2018: Estatísticas Consolidadas. Brasília- Distrito Federal 2018. Disponível em: https://www.cnt.org.br/agencia-cnt/somente-12-da-malha-rodoviaria-brasileira-pavimentada. Acesso em: 15 de janeiro de 2021.

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DO TRANSPORTE, 4., 2019, Brasília. Anuário CNT 2019: Estatísticas Consolidadas. Brasília – Distrito Federal 2019. Disponível em: https://www.cnt.org.br/agencia-cnt/somente-12-da-malha-rodoviaria-brasileira-pavimentada. Acesso em: 15 de janeiro de 2021.

Votorantim Cimentos. Mapa da Obra: pavimentos para vias públicas. Pavimentos para vias públicas. 2016. Disponível em: https://www.mapadaobra.com.br/capacitacao/conheca-os-diferentes-tipos-de-pavimentos-para-vias-publicas/. Acesso em: 15 jan. 2021.

Gostaria de solicitar um orçamento?

Solicite agora mesmo o seu orçamento